Qual a importância das crianças na criação de imunidade de grupo?

São essenciais. Por não sofrerem com a infeção de forma relevante são essenciais na imunidade. Ao desenvolverem imunidade passam a ser uma barreira à transmissão do virus, são como que aspiradores de virus do ambiente que absorvem e destroem. Reduzem portanto a carga de virus disponivel para infectar outras pessoas vulneráveis. Tudo isto é o cerne da great barrington declaration e mais de um século de conhecimento epidemiológico. Deixar quem não sofre infectactar-se para criar barreira e de facto proteger quem precisa. Ao “proteger” tudo com confinamentos absurdos está-se apenas a dar mais tempo e capacidade social do virus atingir […]

O medicamento X é eficaz?

Não tenho formação em estatística de ensaios clínicos para em consciência e ética analisar resultados de ensaios de diversas drogas para covid-19. Por isso nunca escrevi ou irei escrever sobre medicamentos e tratamentos, ainda que tenha opinião pessoal sobre alguns dos estudos e resultados conhecidos.

Nunca se viu nada assim?

(Por Fernando Verissimo Cardoso) A actual situação nos hospitais portugueses exije preocupação para os doentes internados e para quem tem que trabalhar com eles sobretudo pela falta de recursos humanos, situação já conhecida no SNS. Isto não me parece discutivel. A situação torna se mais complicada devido aos protocolos de isolamento pelo sars cov 2 e equipamentos de proteção a usar pelos profissionais. Como estes doentes não podem ficar nas urgências, nos corredores ou em enfermarias de outras especialidades como acontecia nos anos anteriores com as infeções respiratórias, são internados em enfermarias dedicadas. O foco passou das urgências, corredores e […]

Porque colapsam os hospitais?

Normalmente, os hospitais funcionam muito próximo ou com sua capacidade máxima no inverno. A única maneira de ser sustentavél é por um fluxo cuidadosamente coreografado de pacientes desde a admissão nas enfermarias até a alta. Este fluxo foi interrompido: 1. Os gestores de camas, que organizam o fluxo, costumavam preocupar-se apenas se o paciente era do sexo masculino ou feminino ou precisava de um quarto separado para evitar a propagação de outras doenças infecciosas. Agora precisam tentar manter os pacientes com diagnóstico de Covid separados daqueles com suspeita de Covid e daqueles sem. Isso destrói hospitais. Nada tem a ver […]

A Suécia tem muitos mortos? Tem mais que os outros nórdicos?

A Suécia tem mortalidade perfeitamente banal no ano 2020. Se usarmos a métrica mais objectiva e não sujeita a manipulação e critérios burocráticos, a mortalidade total por todas as causas, corrigida ao ligeiro aumento da população Sueca, temos que 2020 terá uma das mortalidades totais mais baixas da ultima década. Neste gráfico fica cristalino, com dados oficiais. Mesmo que existisse um aumento brutal em Dezembro 2020 – que não está a acontecer – seria impossivel a mortalidade ainda chegar aos niveis de 2010. Os anos no gráfico estão invertidos, direita para a esquerda. 2020 só tem dados até semana 50 […]

Como poderiam ser protegidas as pessoas em risco, nomeadamente as que estão nos lares ?

Com medidas muito simples e conhecidas há séculos Pessoas com sintomas ou diagnóstico confirmado não podem cuidar de pessoas em risco Pessosa em lares com sintomas são isoladas enquanto os sintomas durarem Higiene das mãos de funcionários, cuidadores e das próprias pessoas em risco Prestação de cuidados de saúde GARANTIDA sem interrupções por acções de pâncio e quarentenas de funcionários e prestadores de cuidados apenas porque tem testes positivos, sem sintomas Apoio continuado a pessoas já de si muito vulneráveis e muitas delas em situações de exclusão social, com debilidades de sáude mental quase universais a quem a falta de […]

Estamos a cuidar de quem precisa?

O grupo mais afetado – ou o único grupo afetado de forma relevante – são os idosos. Todos os esforços de contenção do impacto do vírus deviam focar-se exclusivamente na proteção e promoção de saúde desse grupo, do grupo acima dos 65 anos. A esmagadora maioria da mortalidade associada ao vírus está nesse grupo em especial em lares de idosos. O caso de Reguengos de Monsaraz é paradigmático do colapso total de cuidados aos lares. Pessoas vulneráveis que deviam ser o foco exclusivo de qualquer medida na verdade foram deixadas a morrer, por SEDE! Praticamente todas as medidas tomadas exageram […]