O grande papão da variante britânica

O grande papão da variante britânica

O PM acaba de justificar a destruição continuada da sanidade mental e educação de uma geração com “a variante britânica”. Já o tinha dito quando apareceu a dita “variante”. Era unicamente para isto, como foi no UK.

Existem 3 500 a 12 000 variantes do dito. Não há “variante britânica” coisa nenhuma. Mais uma aberração.

A “maior infeciosidade” da suposta variante é calculada a partir de testes PCR sem resultado positivo para o gene S. Um teste PCR no ocidente foca em 3 genes. Uma aberração laboratorial. No Japão usa 12 alvos….

Inventaram a “variante mais infeciosa” sendo testes com menos alvos. Menos. Isso mesmo. 2. Se tiverem um resultado só com 2 genes detectados não devia sequer ser positivo, apenas lixo. Mas transformam em algo mais perigoso!

Quem é que inventou “a variante mais infeciosa em crianças“? Neil Fergunson. O mesmo que disse que iam morrer milhões em cada país, era preciso fechar tudo e no pico do confinamento mandou a amante ir visitá-lo. O mesmo que inventou números da treta para as vacas loucas, febre aftosa, gripe suína. Esse mesmo. Publicou um artigo da treta que não leva em conta intervalos de confiança para dizer que testes PCR aberrantes são ainda mais perigosos.

https://andre-dias.net/obviamente-os-especialistas-nao-embarcam-na-mutacao-70-mais-infeciosa/

A novela da “nova mutação”

Nova mutação é uma fraude estatistica e de dados

O grande papão da variante britânica

Anterior
Próximo