Facebook Post: 2020-12-13T13:31:20

andre-dias.net

No inicio de Setembro a Universidade de Coimbra anunciou que iria fazer rastreios PCR aleatórios a estudantes e funcionários tornados vitimas sem direitos fundamentais.

No final de Outubro – só me enviaram agora – o orgulhoso reitor foi anunciar o exemplar resultado para justificar os milhões deitados ao lixo e os direitos destruidos.

Anunciou cheio de orgulho que faziam 100 testes por dia, se fosse preciso até faziam mais, e que encontraram, nas palavras do próprio em citação directa “10 assintomáticos”.
Ou seja, a Universidade, o lugar de conhecimento, prefere o circo ao conhecimento.

Perante uma prevalência de tal ordem – muito dificil estimar porque não se sabe ao certo o número de testes nem quando foram detectados os 10 casos – nos 0,1% a única atitude racional era parar imediatamente com a testagem, levantar todas as restrições impostas e repor todos os direitos tirados de forma abusiva – na altura nem sequer tinha desculpa de estado de “emergência” – o magnifico reitor preferiu dizer que “tinham interrompido 10 cadeias de contágio”!

Universidade de Coimbra e os falsos positivos

Facebook Post: 2020-12-13T13:31:20

https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fandre-dias.net%2Funiversidade-de-coimbra-e-os-falsos-positivos%2F&h=AT1LkJ_B2usIGIwQ5fw1vwWgz60pNVPZ_hVApAfIaEnBYRgIfWfbAA4O9Tp5IEdqVMSz9dQonbZ5ZqBu9HBeWNHlef8IlrhKx9L3Qe4SS_yd22ZIskjtGdxwdd4klaU3&s=1

https://www.facebook.com/105540661154771/posts/209095560799280/

Anterior
Próximo