Fabricante de testes PCR admite que metade são falsos positivos

Fabricante de testes PCR admite que metade são falsos positivos

Olfert Landt director da  TIB Molbiol, numa resposta ao Fuldaer Zeitung admite que metade dos resultados positivos em PCR são lixo.

Numa tentativa de defender-se das acusações crescentes de conflitos de interesse e manipulação cientifica, Oflert Landt, faz uma afirmação gigantesca vinda de um fabricante com interesses financeiros bilionários.

„Etwa die Hälfte der Corona-Infizierten nicht infektiös“ – Landt fordert mehr Mut

In einem Punkt scheinen Olfert Landt und Reiner Füllmich aber einig zu sein: Nicht jede positiv auf das Coronavirus getestete Person ist auch ansteckend. „Wir wissen, dass Leute mit einer geringen Viruslast nicht infektiös sind“, sagt Landt. Der Hersteller der PCR-Tests glaubt, dass schätzungsweise die Hälfte aller positiv getesteten Personen nicht infektiös seien. Um gefährlich für Dritte zu sein, müsse man „100-mal mehr Viruslast in sich tragen als die Nachweisgrenze der Tests“.

“Cerca de metade das pessoas infectadas com corona não são infecciosas” – Landt pede mais coragem
Num ponto, no entanto, Olfert Landt e Reiner Füllmich parecem concordar: nem todas as pessoas com teste positivo para o coronavírus é contagiosa. “Sabemos que as pessoas com baixa carga viral não são infecciosas”, diz Landt. O fabricante dos testes de PCR acredita que cerca de metade de todas as pessoas com teste positivo não são infecciosas. Para ser perigoso para terceiros, é preciso carregar “100 vezes mais carga viral do que o limite de detecção dos testes”.

Ou seja, o fabricante admite que metade “não são infeciosas”. Sabendo que 97% das pessoas não tem sintomas quando positivos, temos a conclusão imediata que metade não é infeciosa nem tem sintomas, ou seja não tem NADA. O fabricante afirma preto no branco que metade são falsos positivos sem qualquer valor clinico, apenas com valor para o balancete da sua empresa e para fabricar heróis de barro podre.

Isto são citações diretas ddas palavras do director, não é manipulação jornalistica. O contexto está no artigo.

A TIB Molbiol está envolvida no escandalo Drosten et al. O investigador e equipa do charité, Drosten, publicou em janeiro em dois dias  – sem revisão por pares – um protocol de PCR para SARS cov 2 com falhas gravissimas, numa revista que é editor e entregou os direitos comerciais à empresa  TIB Molbiol. Numa tentativa de negar as acusações o director acabar por admitir preto no branco a aberração que vende, a banha da cobra que são os testes PCR em baixa prevalência e com protocols com 2 alvos virais.

Claro que nada vai mudar. Nem com isto, nem com a OMS a alertar para falsos positivos. A classe médica, a classe politica e o jornalixo tem a suas carreiras todas enterradas neste lixo, não vão lavar-se, preferem chafurdar na lama.

https://www.fuldaerzeitung.de/fulda/corona-pcr-test-streit-hersteller-olfert-landt-infizierte-rki-christian-drosten-reiner-fuellmich-berlin-90132220.html

https://cormandrostenreview.com/report

Fabricante de testes PCR admite que metade são falsos positivos

Anterior
Próximo