Como surgiu a ideia que os assintomáticos podem infectar?

Como surgiu a ideia que os assintomáticos podem infectar?

Como surgiu a ideia que os assintomáticos podem infectar?

Podiamos pensar que o medo e suposto perigo de assintomáticos poderem ser a razão de infeção de covid-19 tinha bases sólidas. Podiamos pensar que assentava num conceito de décadas de epidemiologia e ser o padrão da maioria das infeções. Não é. Sabe-se perfeitamente que pessoas sem sintomas ou antes de ter sintomas nunca são o motor de uma infeção respiratória. Quando tem algum papel é irrisório, apenas um número marginal de infeções.

Podiamos pensar que houve logo na primavera um número muito grande de casos de infeção atribuida a assintomáticos que tinha relevância estatistica para por de lado o que sabiamos. Pois, não.

Across the studies reviewed, a total of 7 instances suggestive of asymptomatic transmission were identified, these being:

  • In Italy, two asymptomatic cases allegedly passing the virus onto two others.

  • In Brunei, two asymptomatic cases allegedly passing the virus onto three others.

  • In China, two asymptomatic cases allegedly passing the virus onto two others

Notwithstanding the small numbers, these case reports, given undue prominence in papers written by respected authorities, appear to have played a major role in the evolution of lockdown and test and trace strategies adopted by most countries over the past nine months.

Cavaleiros do apocalipse e jornalixo pegou em 6, isso mesmo SEIS, relatos NÃO CONFIRMADOS e lançaram mais um bicho papão. A maioria deles perante evidência que tal é um absurdo, insistem na lenga lenga. Não há qualquer prova de infeção por assintomáticos – os que existem não tem qualquer confirmação clinica, a maioria nem sequer houve contacto com as pessoas para perguntar se tinham sintomas, foram “disse que ouviu que disse”.

Anterior
Próximo