Como é que o jornalixo consegue ser tão estúpido? Uma desconcertante questão de vermes

Uma peça genial da cloaca. Uma peça que deve ser guardada nos anais do apodrecimento do jornalismo. Uma peça que deixa de facto a questão:

Como é que o jornalixo consegue ser tão estúpido? Uma desconcertante questão de vermes

Não é preciso ir mais longe que a primeira frase. “partículas no limar entre a vida e a ausência dela”. Torna cristalina a burrice mor de quem quer escrever sobre temas que não compreende nem sequer da forma mais elementar. Os virus não estão entre limiar nenhum, os virus não tem vida, ponto final paragrafo. Não são capazes de se reproduzir, não há qualquer “limiar” coisa nenhuma, não são seres providos de vida, são particulas. Ponto final.

Dizer que “os virus são inteligentes” é apenas narrativa de idiotas chapados para espalhar medo. Terrorismo psicológico ao nivel de vermes dignos de regimes Nazis, que personificam coisas sem vida como se de monstros debaixo da cama. Jornalixo abusador de emoções da mais profunda cloaca. Os virus não podem ser inteligentes ou capazes de qualquer capacidade cerebral, pois nem sequer tem vida.

 

Como é que o jornalixo consegue ser tão estúpido? Uma desconcertante questão de vermes

Anterior
Próximo