Vacina reduz capacidade imunitária após primeira dose e pode induzir falsos indicadores de eficácia

Dados da PHE em conjunto com dados dos pseudo estudos de fase 3 da vacina Pfizer indicam  um risco significativamente acrescido de infeções após 4 a 9 dias da primeira dose.

Os dados dos pseudo estudos de fase 2 e 3 indicam uma redução significativa de linfócitos nos dias seguintes à toma da primeira dose. Como se vê no gráfico.

https://www.nature.com/articles/s41586-020-2639-4/figures/5

Um estudo da Public Health England, agora encontra um aumento de 48% de infeção 4-9 dias após a primeira dose. Ou seja, a vacina aparenta ser pior que placebo para a própria doença que supostamente evita.

https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2021.03.01.21252652v1

Os dados de “eficácia” estão depois manipulados para apenas olhar para infeções e mortes após a segunda dose. Se há um aumento após a primeira dose, que não foi, nem é, levado em conta, e apenas se publicam dados após segunda dose esta aparece como salvadora. A infeção e morte tendem para valores estáveis. Se há um aumento após a primeira dose, as pessoas deixam de estar disponiveis para serem novamente infetadas ou morrerem depois da segunda dose. Ao olhar apenas para o pós segunda dose, aparece como sendo altamente eficaz. Não porque tenha evitado a infeção ou morte, mas porque a causou no “buraco negro” entre primeira e segunda que ninguém analisa.

Os dados de Israel aparentam indicar este efeito em termos de mortalidade. Parecem estar a morrer mais pessoas após a primeira dose.

O estudo da PHE foi anunciado como “vacinas tem eficácia de 83%”. O uso de dados populacionais para demonstrar a eficácia é ilegal. A eficácia de medicamentos só deve ser aferida em ensaios controlados e todos os participantes tem de consentir explicitamente o seu envolvimento. Esses ensaios não foram feitos para estas vacinas, uma delas violou o protocolo autorizado e ainda assim continuou ilegalmente como o pseudo ensaio. O uso de populações não consentidas constituiu testagem ilegal.

 

Vacina reduz capacidade imunitária após primeira dose e pode induzir falsos indicadores de eficácia

Anterior
Próximo