Redução de risco relativo versus redução absoluta

andre-dias.net

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33652582/

Um artigo resumo sobre uma das manipulações mais comuns e mais mal entendidas: risco relativo versus risco absoluto.

Sobre a forma como os efeitos das vacinas foram divulgados, e foram primeiro enviados para jornais financeiros antes de serem revistos por pares.

As vacinas prometem reduções de 90% do risco. Mas os valores são manipulações de estatística porque omitem a redução de risco absoluto. Em termos absolutos a redução e 1.1%

Ou seja, vendem que a vacina e muito eficaz reduz muito…. mas reduz de algo que é residual, o risco sem vacina já é residual. Corta 90% do grão de areia, que por muito que os 90% impressionem continua a ser um grão de areia.

Based on data reported by the manufacturer for Pfzier/BioNTech vaccine BNT162b2, this critical appraisal shows: relative risk reduction, 95.1%; 95% CI, 90.0% to 97.6%; p= 0.016; absolute risk reduction, 0.7%; 95% CI, 0.59% to 0.83%; p < 0.000. For the Moderna vaccine mRNA-1273, the appraisal shows: relative risk reduction, 94.1%; 95% CI, 89.1% to 96.8%; p = 0.004; absolute risk reduction, 1.1%; 95% CI, 0.97% to 1.32%; p < 0.000. Unreported absolute risk reduction measures of 0.7% and 1.1% for the Pfzier/BioNTech and Moderna vaccines, respectively,

 

 

Anterior
Próximo