Os estudos subvertidos e de dados martelados

Os estudos subvertidos e de dados martelados

Mais uma peça alarmista do jornalixo, com a fotografia de cuidados intensivos da praxe.

Vamos lá ver então o que de facto foi publicado.

Para começar não foi na “Lancet”. Não há nenhuma revista chamada Lancet, há uma “The Lancet”. Mas não foi no The Lancet que foi publicado – uma das três revistas de referencia mundial em medicina – foi na “The Lancet Respiratory Medicine” que tem um factor de impacto 3 vezes mais baixo, logo muito menor “peso” e dificuldade de revisão por pares que a The Lancet. Os jornalixo sabe porque mencionam eles próprios o nome, mas mentem descaradamente para dar mais credibilidade à narrativa de fim de mundo a dizer “Lancet”

Depois, é no AUGE da infeção comparada com 2018/19. Escolheram apenas e unicamente 2 meses para o estudo. O titulo não diz nada disso, faz passar que é da doença como um todo. Não é. Se tivessem escolhido a época de gripe total, os resultados seriam muito diferentes.

Gosto especialmente quando mencionam que ” a temporada de gripe 2018/2019 foi a pior dos últimos cinco anos em França em termos de número de mortes”. Para afirmar que é muito grave usam os números de mortos da época TODA, mas para a comparação com covid só usam 2 meses. Escolhem a época TODA mas comparam o pico. Uma época grave pode ter um pico muito ameno – e 18/19 teve – porque é a duração da época que dita a gravidade total. Uma época muito longa, como 2018/19, mata muito  mais gente que uma época curta com um pico alto. Como é clarissimo no euromomo.eu. Mas escolhem uma época longa e com pico baixo para comparar com uma época curta e pico alto de covid, para terem as conclusões que querem ter.

Se tivessem escolhido 2014/15 ou 1999/00 ou 1998/99 ou 1967/68 a narrativa seria muito diferente, seria o covid a metade da gripe. Mas convinha escolher um ano ameno de gripe para ser uma comparação chocante.

Os estudos subvertidos e de dados martelados

https://reader.elsevier.com/reader/sd/pii/S1198743X19300588?token=442D0AB86B45B4D4299818B06CF82691EE562B9DFE679B1263DE96B499D37BC15FF28EF2F6489FC18A15665256C12753

https://euromomo.eu/graphs-and-maps

https://www.euromomo.eu/pdf/winter_season_summary_2015.pdf

https://www.gacetasanitaria.org/en-influenza-related-mortality-in-spain-1999-2005-articulo-resumen-S0213911111004067 – Estes dados são de Espanha, mas dão um contexto histórico da gravidade das outras épocas

O jornalixo  foi buscar todo o alarmismo sobre números, mas não convinha nada citar pequenos detalhes como

There is a small possibility that some patients hospitalised in 2020 were misclassified as COVID-19 when they actually had influenza.

É possivel que alguns dos covid na verdade tivessem gripe e portanto, é possivel que os números sejam todos lixo…. O facto de a gripe ter desaparecido repentinamente em Março e não ter voltado a aparecer em Outubro é capaz de ser um bom indicador que a probabilidade não é assim tão baixa….

 

Os estudos subvertidos e de dados martelados

 

Anterior
Próximo