O Jornalixo no seu expoente máximo

O Jornalixo no seu expoente máximo

Isto, meus caros, é o jornalixo no seu expoente máximo. Pago por todos com taxas da treta. Isto é quem define quem pode ser ouvido como “especialista”, isto é quem vai perguntar ao PR se fecha tudo hoje ou amanhã, quem insiste com directores hospitalares para dizer que está tudo em ruptura. Isto é a manipulação em estado puro.

Uma pessoa sem a mais remota noção do ridículo que vive, mas que o propaga como sendo de uma gravidade total. Uma jornalixo paga para debitar lixo sem fim. Uma professora que vai formar outros jornalixos exactamente com a mesma lenga lenga de total alheamento da realidade e de manipulação emocional básica no seu privilégio.

Como participante num circo de testes sem qualquer critério clínico, num cenário de baixíssima prevalência, logo testes sem valor preditivo positivo digno “Teste regular que a RTP realiza”. Circo que alimenta a milhões todos os dias uma indústria, pago com impostos.

Um falso positivo do mais claríssimo que pode haver “Não tive um único sintoma. Nada. Jamais saberia que estava infectada”

A conclusão de uma pessoa que nunca estudou estatística na vida, nunca estudou medicina. Apenas fez um cursito para quem não conseguiu entrar em mais nada. “A perigosidade deste vírus está aí.”

A genialidade de mencionar “a arbitrariedade com que”, sem perceber que é o sinal mais evidente de falso positivo. De ser aleatório como são os falsos positivos, porque não tem qualquer adesão à biologia, são apenas consequência de factores aleatórios.

A exibição da virtude de classe média com salário garantido sem fazer nada. “Fiquei em casa pelos meus e pelos teus”. A moralidade bacoca, a vida privilegiada, a falta de noção do que é não ter como garantir “sacos de ternura à porta”, de ter que trabalhar diariamente pelo salário mínimo, cortado a cada falta.

O Jornalixo no seu expoente máximo

 

A manipulação fétida emocional para garantir a “carreira”

O Jornalixo no seu expoente máximo

Ignorância manipulativa ou mentira descarada. Se não conhece ninguém que tenha morrido de gripe a razão é muito simples: o jornalixo nunca quis saber de tais mortos, eram apenas notas de rodapé, nos corredores das urgências. Os dados oficiais e formais são mais que públicos.

Image may contain: 1 person, text that says "Marrafa de Carvalho @RitaMarrafadeC Há uma diferença atroz entre o vírus da Gripe e o Sars Cov 2. Não conheço ninguém que tenha morrido de Gripe. Só isto deveria convencer os tolos dos negacionistas. 9:33 30 jan 21 Twitter for iPhone"

 

A vida privilegiada em casa a receber o salário garantido e as palavras de indignação para quem anda a trabalhar por meio tostão sem estabilidade “no meio da pandemia perigosa”. A virtude fácil do privilégio.

O Jornalixo no seu expoente máximo

A boçalidade para quem tenta fazer valer o direito a ter uma actividade económica como definido na constituição, quem tenta desafiar a destruição social e económica que alimenta os privilégios do seu salário garantido.

O Jornalixo no seu expoente máximo

Aproveitamento do medo e da destruição social para “fazer trabalho”, sem noção.

Image may contain: 1 person, text that says "Marrafa de Carvalho @RitaMar... 1h Pessoas!! Precisava de uma família separada na Natal. Para no dia 24 fazermos uma reportagem ao jantar nos dois pontos do país. Filmar uma casa com a família em Lx, por ex, e, simultaneamente, outra equipa a filmar a videochamada pna casa onde está a a restante família. Alguém? 16 10 19"

Anterior
Próximo