O desespero dos mentirosos

Depois de ter censurado ostensivamente um artigo de opinião de um médico, o publico.pt hoje parece o rio Ave dos anos 80: um esgoto a céu aberto de parasitistas a insultar quem não alinha na narrativa.

O desespero é de tal ordem, que a censura aperta sempre que os mentirosos sabem que a verdade não se pode matar. Desesperados por manter no poder os corruptos que lhes dão milhões de subsidios e desesperados por mostrar aos maiores compradores de publicidade que continuam relevantes, não faltam hoje no esgoto artigos de opinião a insultar uma faixa da população, a apresentar dados falsos, a apelar a criminalização da opinião diferente! Tudo muito solícito a escrever logo no mesmo dia, tudo muito relevante e digno para os editores vermes.

A opinião de um químico a discorrer sobre direito e medicina é digna do esgoto. A opinião de um filósofo a insultar uma franja da população é digna do esgoto.  São dos caciques do partido, têm de ser dignas do esgoto.

Sobre as avenças corruptas do Filipe Froes, nem uma palavra. Silêncio sepulcral no esgoto.

O desespero dos mentirosos

 

O desespero dos mentirosos

O desespero dos mentirosos

Anterior
Próximo