Em Fevereiro 15 laboratórios centrais na Europa relataram contaminação de reagentes

andre-dias.net

Em Fevereiro 15 laboratórios centrais na Europa relataram que lotes de reagentes para testes PCR estavam contaminado e que produziam falsos positivos. Na altura havia pouquissimos laboratórios capazes de processar PCR para SARS cov 2, logo uma fatia muito grande relatou e encontrou contaminação.

Já em Fevereiro sabiam perfeitamente que ao lançar-se em testagem apressada com protocolos e reagentes sem qualquer controlo de qualidade era receita para o desastre. Em Março havia ainda critérios clinicos de testagem.

Desde então deixou de haver qualquer critério e portanto a “prevalência” – probabilidade pré teste- colapsou e os fabricantes de reagentes deixaram de ter qualquer supervisão, bem como os próprios laboratórios, na ânsia politica de testar mais e mais, até chegar a niveis completamente absurdos como 50 000 testes por dia em Portugal. A qualidade que em Março era de percentagens brutais de lotes contaminados terá aumentado em flexa com os milhões fáceis de ganhar e o desaparecimento de supervisão. A credibilidade dos testes, foi desaparecendo, mas o circo manteve-se. Ninguém quis saber, ninguém quer saber, só querem vender medo com números lixo e invenções criminosas

Ten laboratories from 8 countries in Europe reported PCR template contamination in commercially ordered primer and probe batches, which led to SARS-CoV-2 reverse transcription PCR (RT-PCR) signals in their no-template controls, and provided detailed information. Five additional laboratories (including addition of a ninth affected country) indicated that they received contaminated material but did not provide details.

 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7392437/

Em Junho testes independentes de validação encontravam já perto de 50% de falsos positivos com kits comerciais. Ninguém fez nada. Com prevalências estimadas de 2.7%, a prevalência no outono e inverno ronda os 0,1%……..

Under these conditions, the positive predictive value of the test  system was 0.802, i.e. almost 20% of the positive results would have been false-positive. In  calendar week 19, 10,187 out of 382,154 samples (2.7%) tested positive. In this scenario, a test system with a diagnostic specificity of 0.9756 had resulted in a positive predictive value of 0.5319, i.e. almost half of the positive results would have been false-positive. Obviously, any further reduction of the prevalence of SARS-CoV-2 infections will result in decrease of the positive predictive value

https://www.biorxiv.org/content/biorxiv/early/2020/06/04/2020.06.03.132357.full.pdf

Sabia-se perfeitamente que os testes são lixo, com dados muito objectivos. Ninguém quer fazer nada, tudo a procura do seu pedaço de ouro na venda de medo. A fome dos outors aguentam-na bem.

 

Anterior
Próximo